Dia nacional do combate as drogas e ao alcoolismo em meio a pandemia de Covid-19

No dia 20 de fevereiro, por mais um ano, registrou-se a data que marca o Dia Nacional de Combate às Drogas e ao Alcoolismo. Mesmo vivendo um grande caos social, causado pela pandemia do coronavírus, entendemos que devemos continuar realizando discussões caras à sociedade.

O reforço da discussão social sobre o uso indiscriminado de álcool e outras drogas se faz necessário, principalmente, por se tratar de uma questão de saúde pública, que inclusive pode ter sido potencializada pela pandemia. O consumo de bebidas alcoólicas e outras drogas quando gera uma relação de dependência química, passando de ser uso recreativo, e quando ligado ao tráfico ilícito de drogas ou à violência, se constitui um grande mal não só para os usuários, mas para toda sociedade.

 

Dia Nacional de Combate às Drogas e ao Alcoolismo

O dia nacional do combate às drogas e alcoolismo é uma iniciativa do Ministério da Saúde em parceria com diversas instituições na tentativa de gerar discussões e medidas preventivas para o abuso de drogas. Neste dia, temos uma oportunidade de lembrar da questão como problema de saúde pública.

Cabe ressaltar que a prevenção continua sendo a melhor saída para impedir o abuso de substância, lembrando que o público potente no declínio dos indicadores sobre uso e abuso de álcool e outras drogas são os jovens e adolescentes. Este dia enfatiza o combate ao comportamento de uso da população e busca estimular a discussão do problema de saúde pública. Nesse ano, em especial, temos mais um problema associado, que é a pandemia causada pelo Covid-19.

 

Álcool e pandemia

Atualmente vivemos a pandemia do novo coronavírus, milhares de brasileiros de uma forma repentina tiveram suas rotinas modificadas de forma abrupta. O medo de se infectar, o isolamento social, o medo de complicação pelos infectados, o encontro com a morte repentina dos familiares, são apenas alguns dos problemas que fizeram a população aumentar o consumo de álcool e outras drogas.

Garcia e Sanchez (2020), revelam que no começo da pandemia notícias falsas, as famosas fake news, atingiram vários países com a notícia que a ingestão de álcool forneceria algum tipo de proteção contra o corona vírus. O resultado fatídico foi a morte de mais de 700 pessoas por consumo de álcool de origem desconhecida que possuíam em sua composição o metanol. Os casos aconteceram na Costa Rica e República Dominicana, e principalmente no Irã.

No Brasil, o que chama atenção é o consumo de álcool após a pandemia. Não o álcool de origem desconhecida mas aquele legal, comercializado amplamente em qualquer local que haja comercio de alimentos. Malta et.al (2020) revela que houve importante aumento no uso de tabaco e álcool. Em seu estudo, 34% dos fumantes informaram o aumento do consumo durante a pandemia. O aumento é expressivo revelando aumento de dez cigarros em 22,5% dos fumantes que informaram o aumento do uso, enquanto 5,1 % informaram aumento no uso para 20 cigarros por dia.

Foi observado aumento no consumo de bebida alcoólica em 17% dos entrevistados. O maior consumo de álcool foi registrado em relação a população adulta, em pessoas de 30 a 39 anos de idade, seguida de pessoas entre 18 e 29 anos. Cabe ressaltar que o menor consumo foi entre os idosos.

Muitos estudos científicos mostram que o desenvolvimento da dependência do álcool e outras drogas estão relacionados com a vulnerabilidade, considerando fatores biológicos, sociais, psíquicos, pessoais, profissionais, financeiros, afetivos etc. A pandemia veio trazer diversos problemas que até então não eram experenciados pelo mundo contemporâneo. Perdas no trabalho, mudança repentina de vida, isolamento social, afastamento das atividades cotidianas, perda de entes queridos, adoecimento, impossibilidade de velar os entes queridos, são apenas alguns dos problemas que a pandemia trouxe para a vida de cada um de nós.

O uso de álcool e outros substâncias historicamente está associado a felicidade e fuga da realidade. Em ambos os casos essas substâncias foi utilizado para tal fim durante a pandemia. Por esse motivo, o dia 20 de fevereiro desse ano possui uma discussão sempre necessária, mas que no momento se faz fundamental. Malta et.al. (2020) “revela que o consumo de álcool e outras drogas está associado a eventos estressores como tristeza e ansiedade, medos relativos ao futuro, insegurança no emprego e risco de morte”.

 

Cartilha sobre álcool e drogas na pandemia

Uma cartilha bem elaborada foi criada por Adamoli et.al (2020) pela Pontifica Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). Refere-se ao uso de álcool e outras drogas em tempos de pandemia. Possui informações importantes e pode contribuir muito com nossas dúvidas sobre a temática, como:

  1. Conhecimento sobre as drogas;
  2. Padrões de uso;
  3. O que é dependência química;
  4. Como as drogas atuam no nosso cérebro;
  5. Vulnerabilidade causada pelo uso;
  6. O uso e problemas psicológicos;
  7. O que é a fissura;
  8. Abstinência e seus efeitos;
  9. Situações de risco;
  10. Estratégias no combate ao abuso;
  11. Exercícios físicos;
  12. Dicas aos familiares e amigos;
  13. O risco do uso de drogas.

Compreendemos que o material é importante e deve ser divulgado em nossos canais, observando que o aumento no consumo e abuso de substância deve ser combatido por toda a sociedade em um movimento de diminuição dos indicadores que levam a população ao adoecimento, a violência e a morte.

Fonte: PORTAL PEBMED

Leave A Comment

Proposta de Filiação Clínico
×