Os primeiros sintomas do Infarto do Miocárdio

É importante ficar atento às queixas de dor e mal-estar das pessoas próximas a nós. Elas podem dar indícios importantes do começo de um infarto e, se a ajuda vier em tempo, pode prevenir uma parada cardiorrespiratória.

A maioria das vítimas de infarto agudo do miocárdio apresenta dor torácica. Esta dor é descrita classicamente com as seguintes características:

a) Dor angustiante e insuportável na região precordial (terço inferior e atrás do osso esterno) e em toda a face anterior do tórax;
b) Compressão no peito e angústia, sensação de constrição;
c) Duração maior que 30 minutos;
d) Dor não diminui com repouso;
e) Irradiação no sentido da mandíbula e membros superiores, particularmente do membro superior esquerdo e eventualmente para o estômago (epigástrio – região superior e medial do abdome).

Outros sinais e sintomas

• A grande maioria das vítimas apresenta alguma forma de arritmia cardíaca, palpitação, vertigem e desmaio. Deve-se atender às vítimas com quadro de desmaio como prováveis portadoras de infarto agudo do miocárdio, especialmente se apresentarem dor ou desconforto torácico antes ou depois do evento.
• Sudorese profusa (suor intenso), palidez e náusea, além de vômitos e diarréia.
• A vítima apresenta-se muitas vezes, estressada com “sensação demorte iminente”.
• Quando há complicação pulmonar, a vítima apresenta edema pulmonar caracterizado por dispnéia (alteração nos movimentos respiratórios) e expectoração rosada.
• Choque cardiogênico.
• Muitas vezes, a dor que procede a um ataque cardíaco pode ser confundida, por exemplo, com a dor epigástrica (de uma indigestão, ou de uma hérnia de hiato esofágico).

Primeiros Socorros

• Procurar socorro médico ou um hospital com urgência.
• Não movimentar muito a vítima, pois o movimento ativa as emoções e faz com que o coração seja mais solicitado.
• Observar com precisão os sinais vitais.
• Manter a pessoa deitada, em repouso absoluto na posição mais confortável, em ambiente calmo e ventilado.
• Obter um breve relato da vítima ou de testemunhas sobre detalhes dos acontecimentos.
• Tranqüilizar a vítima, procurando inspirar-lhe confiança e segurança.
• Afrouxar as roupas.
• Evitar a ingestão de líquidos ou alimentos.
• No caso de parada cardíaca, se houver alguém próximo com treinamento em primeiros socorros, aplicar as técnicas de ressuscitação cardiorrespiratória.
• Verificar se a vítima traz nos bolsos remédios de urgência. Aplicar os medicamentos segundo as bulas, desde que esteja consciente.

Fonte: Núcleo de Biossegurança- Fiocruz / Ministério da Saúde. Autor: Mariana Mesquita.

Leave A Comment

Proposta de Filiação Clínico
×