Garantia para uma vida saudável

Como funciona a digestão

Precisamos dos alimentos para nos manter vivos, ativos e saudáveis. Mas o que acontece com eles depois de ingeridos?

Os alimentos atravessam o corpo pelo tubo digestivo. Esse tubo é formado por boca, faringe, esôfago, estômago, intestino delgado grosso e ânus.

NO estômago e no intestino delgado, são produzidos líquidos especiais, os sucos digestivos, que transformam os alimentos em uma mistura pastosa. Parte do intestino delgado é revestida internamente de dobras, em forma de dedos, chamadas vilosidades. Através delas as substâncias dos alimentos digeridos são absorvidas pela corrente sangüínea. Assim, o sangue transporta energia e nutrientes para todas as partes do corpo.

A intestino grosso absorve água e minerais da parte não digerida do alimento, para formar um resíduo sólido, as fezes.

Tubo digestivo

10 recomendações para uma alimentação saudável

Conheça as recomendações do Ministério da Saúde para uma alimentação saudável. Essas recomendações são dirigidas para a população maior de 2 anos de idade e devem ser seguidas por toda família. Não é preciso fazer todos os passos de uma vez ou seguir cada um deles na ordem. A idéia é escolher o passo mais útil e tentar segui-lo todos os dias, sem desanimar, mesmo não sendo possível realizá-lo uma vez ou outra. Ao sentir que o passo já faz parte da sua rotina, a pessoa deve tentar outro.

1 – Aumentar e variar o consumo de frutas, legumes e verduras

As frutas e as verduras são ricas em vitaminas, minerais e fibras. O ideal é comer, pelo menos, quatro colheres de sopa de verduras e legumes, duas vezes ao dia. Para isso, é preciso consumir vegetais no almoço e no jantar. Também é recomendável comer uma fruta no café da manhã e outra nos lanches da manhã e da tarde.

2 – Comer feijão

O feijão é um alimento rico em ferro e previne a anemia. Por isso, é importante comer feijão pelo menos uma vez por dia, no mínimo, quatro vezes por semana.

3 – Diminuir o consumo de alimentos gordurosos

Comer alimentos gordurosos como mortadela, salsicha, carnes com gordura aparente, frituras e salgadinhos para, no máximo, uma vez por semana. Retirar a pele do frango, a gordura visível da carne e o couro do peixe antes do cozimento. Apesar de o óleo vegetal ser um tipo de gordura mais saudável, o seu excesso faz mal a saúde. Se uma família de quatro pessoas estiver usando mais de uma lata de óleo por mês, ela está exagerando no consumo. O indicado é comer os alimentos cozidos ou assados e evitar cozinhar com margarina, gordura vegetal ou manteiga.

4 – Reduzir o consumo de sal

O sal é essencial para o funcionamento do nosso corpo, mas em excesso pode levar a hipertensão, aumento de pressão no sangue. Crianças e adultos não precisam de mais do que uma pitada de sal por dia. Temperos prontos, alimentos enlatados, carnes salgadas e embutidos, como mortadela, presunto e lingüiça, contém muito sal e devem ser evitados.

5 – Reduzir o consumo de açúcar

Não pular nenhuma refeição. Quando se faz todas as refeições, o estômago não fica vazio por muito tempo, diminuindo o risco de gastrite e de exagerar na quantidade quando for comer novamente. Não comer guloseimas antes das refeições e preferir frutas como sobremesa.

6 – Reduzir o consumo de açúcar

Comer menos doces, bolos, biscoitos e outros alimentos ricos em açúcar, limitando-os a duas vezes por semana.

7 – Evitar bebidas alcoólicas e refrigerantes

A melhor bebida para o nosso corpo é a água!

8 – Comer devagar

Apreciar o sabor dos alimentos, comendo-os devagar. Fazer das refeições um momento de encontro da família e nunca se alimentar assistindo televisão.

9 – Manter o peso saudável

Procurar manter o peso dentro dos limites saudáveis. Veja no serviço de saúde se o seu Índice de Massa Corporal (IMC) está entre 18,5 e 24,9 Kg/m2. O IMC mostra se o peso de uma pessoa está adequado à sua altura e é calculado dividindo-se o peso, em quilogramas, pela altura, em metros, elevada ao quadrado.

10 – Ser ativo

Praticar 30 minutos de atividade física todos os dias. É só começar a caminhar pelo bairro, subir escadas e diminuir o tempo gasto em frente à televisão e ao computador.

Concluindo idéias que estão apenas começando

Sentar-se à mesa é mais do que somente o ato de comer e atender às nossas necessidades básicas de alimentação. É hora de repor as energias, de contas as novidades e elogiar quem preparou tudo com carinho, dando um sabor especial aos alimentos.

Um longo caminho foi percorrido pelo alimento para chegar até nós e muita gente no campo e nas cidades trabalha para que isso se realize todos os dias. Uma forma de agradecer por este trabalho tão importante para nossas vidas é não desperdiçar!

Fonte: Cartilha da Nutrição/ Fome Zero – “Emília e a Turma do Sítio na: Educação Alimentar e Nutricional” – Exemplar do Professor.

Leave A Comment

Proposta de Filiação Clínico
×