A existência de bons hábitos de higiene, tanto nas pessoas que trabalham com alimentos como em tudo o que é usado para prepará-los, é muito importante para a manutenção da saúde, pois evita a transmissão de doenças.

Esses problemas são causados por pequenos seres vivos chamados bactérias, fungos, vírus e protozoários, microorganismos que só podem ser vistos com a ajuda de aparelhos especiais, como os microscópios, mas que estão por toda parte: na água, no ar, no corpo humano, nos insetos e nos alimentos.

Cuidados que se deve ter no preparo e na manipulação dos alimentos:

• Lavar muito bem as mãos, com água e sabão, antes de preparar os alimentos e antes das refeições;
• Lavar os utensílios de cozinha, como garfos, facas, colheres, pratos, panelas, travessas, em água corrente e utilizando sabão;
• Manter as superfícies da cozinha, como piso, pias, tábuas de carne etc., sempre secas. As bactérias e os fungos se reproduzem mais facilmente em contato com a umidade;
• Colocar os restos de alimentos, ou seja, o que não puder ser aproveitado, em lixeiras tampadas, para evitar a proliferação e a aproximação de ratos e insetos, como moscas e baratas;
• Guardar as sobras de alimentos, ou seja, que ainda podem ser utilizadas na alimentação, em recipientes tampados e sob refrigeração, para evitar a proliferação de bactérias e fungos, que podem causar doenças quando esses alimentos forem ingeridos;
• Usar sempre panos limpos para limpar a cozinha. Panos que são usados várias vezes ou para várias tarefas aceleram a proliferação das bactérias que permanecem nos tecidos;
• Lavar muito bem com água corrente as verduras, folha por folha, os legumes e as frutas. Verduras e legumes que são ingeridos crus e frutas que serão comidas com a casca devem ficar por 10 minutos mergulhados em uma solução de água com hipoclorito de sódio e, depois, precisam ser lavados novamente;
• Prender o cabelo ou usar touca sempre que for manipular o alimento;
• Tomar banho todos os dias, usar roupas limpas e manter as unhas curtas e limpas.

Alimento no lugar certo

Cada alimento tem uma temperatura ideal de conservação. As temperaturas frias impedem que a maioria das bactérias e dos fungos se multiplique. É por isso que os alimentos são guardados na geladeira ou em lugares bem frescos. Atenção: quem não tem geladeira deve preparar a quantidade certa de alimentos para evitar sobras.

Temperaturas quentes matam a maioria dos microorganismos. Por esse motivo, assar ou cozinhar bem os alimentos também previne a sua contaminação.

Além disso, devem-se manter limpos os alimentos cobertos, sobretudo os que ficam expostos e guardá-los em locais secos.

Diga não ao desperdício

Muitas vezes desperdiçamos boa parte dos alimentos ao jogar fora cascas, talos, folhas e outras partes dos legumes, frutas e verduras. Isso é um erro, pois muitos deles são ricos em nutrientes e podem ajudar a melhorar a qualidade nutricional das refeições.

Com um pouco de criatividade, as sobras podem se transformar em pratos deliciosos e muito nutritivos, como bolinhos de talos de couve, suco ou chá de casca de abacaxi e bolo de casca de banana.

As folhas de cenoura, por exemplo, são riquíssimas em vitamina A e, por isso, ajudam no crescimento e na vitalidade do cabelo, da pele e da visão. Essas folhas podem ser aproveitadas na preparação de bolinhos, farofas, sopas ou picadas na salada.
Utilize a água do cozimento de legumes que contém vitaminas e minerais, na preparação de caldo, molho, pirão e sopas.

O que não for utilizado em alguma receita pode ainda virar adubo para plantas em vasos, hortas ou quintais.

Fonte: Cartilha da Nutrição/ Fome Zero – “Emília e a Turma do Sítio na: Educação Alimentar e Nutricional” – Exemplar do Professor.

Leave A Comment

Proposta de Filiação Clínico
×